Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Príncipe Roy de Sealand (falecido a 9 de outubro de 2012)

Príncipe Roy de Sealand

Nascido em 1921, filho de Harry e Lilyan Bates, Roy seria um aventureiro. A única criança sobrevivente de cinco filhos que morreram enquanto eram ainda bebés ou durante a sua infância. Aos 15 anos, Roy partiu para se juntar à brigada internacional na guerra civil de Espanha, à procura de aventura, regressando depois para o Reino Unido através de Gibraltar. Depois, começou por trabalhar como aprendiz no mercado de carne de Smithfield com o Lorde Vesty, com o intuito de viajar para a Argentina e dirigir as fazendas de gado do Lorde.

Com o advento da Segunda Guerra Mundial, incorporou-se no serviço de recrutamento mais próximo e no final da guerra era um Major da infantaria no Primeiro Batalhão de Fuzileiros Reais do Regimento da Cidade de Londres. Serviu na 8ª divisão da Índia. Combateu em África, Itália, Iraque, Síria e outros locais de conflito. Em determinado ponto foi prisioneiro de guerra após o avião onde voava ter-se despenhado na ilha de Rodes. Ao tentar escapar-se, foi capturado pelos fascistas a roubar um barco de pesca e mais tarde foi salvo da execução em frente ao pelotão de execução por um oficial alemão que passava fortuitamente.

Participou na batalha violenta pelo controlo do mosteiro no cume do Monte Cassino onde os alemães detiveram ferozmente o avanço dos aliados em direção a Roma.

Dizia que o exército enviava os homens para o deserto com roupas quentes e para as montanhas frias de Itália em calções. Feridos várias vezes, capturado duas vezes, tendo contraído malária, dengue mediterrânica, queimaduras de gelo e sido mordido por uma cobra foram algumas das suas lesões em tempo de guerra. Após um ferimento horrível fruto de uma granada de mão alemã ter explodido junto a si e ter quase esmagado o seu maxilar e crivado de fragmentos na sua face, o cirurgião do exército disse-lhe que teria que habituar-se à ideia de nunca mais ter uma namorada pois ficaria tremendamente desfigurado. As suas feridas sararam e conheceu aquela que viria a ser a sua mulher Joan, possuidora de uma beleza estonteante. Dizia que tinha desfrutado do período de guerra e de estar imensamente orgulhoso de ter servido o Rei e o país defendendo os quatro cantos do império britânico. Apesar do paradoxo por se ter afastado do Reino Unido por cause de Sealand, dizia que fá-lo-ia tudo de novo se o seu país Natal precisasse dele.

Depois da guerra, importava carne por comboio da Irlanda do Sul para a Irlanda do Norte em racionamento. Importou látex da Malásia para fabricar barbatanas. Mais tarde, viria a formar uma frota de pesca costeira nas águas de Essex. Tinha uma cadeia de talhos, um armazém de carne e, em determinado momento, uma agência imobiliária. Em meados dos anos 60 tornou-se fascinado pelo fenómeno das rádio-pirata e fundou a Radio Essex no forte de Knock John. Mais tarde, após ter sido condenado pela lei de ofensas marítimas, mudou-se com a sua família para a torre Roughs a sete milhas e meia da costa de Felixstowe no Mar do Norte. Roy declarou a independência do Reino Unido na ilha-fortaleza e chamou-a o “Principado de Sealand“, concedendo à sua amada mulher Joan, no seu aniversário em 2 de setembro de 1967, o título de Princesa, num gesto extremamente romântico.

Viriam a seguir-se muitas aventuras, incluindo contendas com o governo britânico e ataques terroristas. Viveu períodos de abundância e tempos de dificuldades mas nunca o ficou a dever a ninguém.

Numa entrevista televisiva nos anos 80 disse “Posso morrer novo ou posso morrer velho mas nunca irei morrer de tédio”. Tendo falecido em paz após vários anos debilitantes de Alzheimer, Roy deixa a sua viúva Joan, o filho Michael e a filha Penny.

A expressão “maior do que a vida” não é suficiente para descrevê-lo. A sua falta será muito sentida.

Partilhe-nos nas redes sociais

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixar um comentário

Comprar um Título de Nobreza

Torne-se num Cavaleiro Nobre, Lorde, Dama, Barão ou Baronesa do país mais pequeno do mundo!

Especial

Partilhe-nos

Publicações recentes

Scroll to Top